4 de junho de 2015

Resenha: A Herdeira

Título: A Herdeira
Autora: Kiera Cass
ISBN: 9788565765657
Editora: Seguinte
Páginas: 390
Classificação: 
Sinopse: Vinte anos atrás, America Singer participou da Seleção e conquistou o coração do príncipe Maxon. Agora chegou a vez da princesa Eadlyn, filha do casal. Prestes a conhecer os trinta e cinco pretendentes que irão disputar sua mão numa nova Seleção, ela não tem esperanças de viver um conto de fadas como o de seus pais… Mas assim que a competição começa, ela percebe que encontrar seu príncipe encantado talvez não seja tão impossível quanto parecia.

CONTÉM SPOILERS DOS LIVROS ANTERIORES 

Minha opinião: Muitos anos no futuro America e Maxon já estão casados e tem 4 filhos, depois da morte de seus pais Maxon se vê na obrigação de assumir o poder e como sua primeira medida diplomática bane de uma vez por todas as castas.
E para surpresa de todos quem vai contar a história é Eadlyn que nome é esse ? - primogênita de America - que vai nos deixar á parte das manifestações que andam acontecendo, porque ao contrário do que todos achavam após a dissolução das castas muitas pessoas se mostraram contrárias a essa ideia e por causa disso querem destruir a monarquia e para tentar acalmar os seus súditos Maxon sugere uma NOVA SELEÇÃO.

"Então ele me contou várias histórias vagas sobre uma garota tão dócil que ele mal podia suportá-la e também sobre outra que tentava manipular cada etapa do processo. 
Eu não conhecia muitos nomes ou detalhes, e nem fazia questão.
 Nunca gostei de imaginar que meu pai poderia ter se apaixonado por outra garota que não a minha mãe"

Eadlyn é claro não aceita participar, mas acaba fazendo um acordo com seu pai que se não achasse ninguém em três meses poderia governar sozinha.

" Sou Eadlyn Schreave. Nenhuma pessoa é tão poderosa quanto eu. "



Só que tem um problema: Eadlyn é insuportável - nem parece filha de America, que é super humilde - ela é mimada, enjoada e prepotente, para ela ninguém é bom o suficiente para se casar.
Eu odiei essa menina desde a primeira página, eu até entendo a pressão que ele sofreu toda sua vida, afinal ela vai governar uma nação, mas nem Maxon que sempre conviveu com tudo isso e tinha aquele péssimo pai agia do jeito que essa menina age.
Resultado de tudo isso: A seleção é um DESASTRE.

" Era engraçado que eu tivesse aprendido um monte de técnicas de desarme para entrevista e negociações, mas precisava aprender sozinha a lidar com garotos. "

No primeiro encontro com os meninos ela já expulsa 11, sendo que a maioria foi devido a motivos bestas. E por causa disso no lugar de acalmar as pessoas ela acaba aumentando ainda mais a insatisfação do público que só vê uma menina insensível que será incapaz de governar um reino.

" Você tem um emprego, como qualquer outra pessoa. Pare de agir como se ser rainha fizesse de você alguém melhor ou pior que os outros. "

Mas para falar a verdade até que eu gostei do final, por que apesar de tudo isso a Kiera deixa subentendido uma mensagem sobre ninguém ser melhor que ninguém e que temos sempre que ser melhores a cada dia.
Vou parar por aqui, mas se quiserem saber como essa trágica - mas até que engraçada - história termina é só ir na livraria mais próxima. 

RESENHA - A SELEÇÃO E A ESCOLHA

Post feito por:

Nenhum comentário:

Postar um comentário